Quase 100 Católicos LGBTIQ, de 35 países, reuniram-se em Munique-Dachau

Resultados da 2ª Assembleia da Rede Global de Católicos Arco-íris “Atende o meu Clamor” (Salmo 17,1)

4 de dezembro, 2017. “Os atos Homossexuais são um pecado” – pelo menos de acordo com a doutrina da Igreja Católica Romana. Entretanto, a Rede Global de Católicos Arco-íris (GNRC) trabalha em prol da justiça e aceitação das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transgénero, intersexo e queer (LGBTIQ) na Igreja Católica. Sob o apelo bíblico “Atende o meu Clamor” (Salmo 17,1), quase 100 Católicos Arco-íris de mais de 35 países se reuniram em Munique-Dachau de 30 de novembro a 3 de dezembro de 2017, com o objetivo de desenvolver uma agenda comum para o futuro.

A jornada de fim de semana valeu a pena! No sábado 2 de dezembro, a Rede Global de Católicos Arco-íris foi oficialmente fundada como associação. O lugar do registo é, como é evidente, em Roma, pois aqui mais do que em nenhum outro lugar é necessário chamar a atenção dos líderes da Igreja.

Uma atenção especial da Assembleia foi dirigida à região de África, em paralelo com outros encontros para as regiões da América Latina e da Ásia-Pacifico, pois o dia-a-dia das pessoas LGBTIQ em muitos países africanos é de constante perigo. Durante a assembleia, a Rede Africana de Católicos Arco-íris colocou sobre a mesa uma moção instando a GNRC a fazer ouvir a sua junto do Vaticano: “Apelamos à Assembleia Geral da GNRC para que solicite ao Papa, e à Igreja Católica Romana, que fale sobre a inclusão de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transgénero, intersexo e queer (LGBTIQ) na Igreja”.

Estamos profundamente preocupados com o facto de que mais de 70 países criminalizem as condutas sexuais consentidas entre adultos do mesmo sexo, sendo a maior parte deles países africanos. As condutas sexuais consentidas entre pessoas do mesmo sexo são condenáveis com pena de morte na Nigéria, Mauritânia, Sudão e em alguns setores da Somália. Leis penais deste tipo, sejam ou não aplicadas, contribuem para ambientes de perseguição e geram violência para com as pessoas LGBTIQ. A violência dirigida a indivíduos LGBTIQ move-se a partir da violência geral (tais como assaltos) até às mais brutais mortes (assassinatos). “Instamos a hierarquia da Igreja a que se comprometa no ensino, oração e atos contra qualquer legislação que enfraqueça a dignidade humana e oprima qualquer minoria, incluindo as pessoas LGBTIQ”, completou a Rede Africana. O apelo foi  aceite pela Assembleia da GNRC. Assim, o trabalho deve começar imediatamente.

Responsável da coordenação das próximas atividades é o recentemente eleito diretório da GNRC. Os seus membros provêm de diversas regiões do mundo:

  • Joanita Warry Ssenfuka (35), Freedom and Roam Uganda (Uganda)
  • Brian Okollan (34), Upper Rift Minorites (Kenia)
  • Benjamin Oh (36), Acceptance Sydney (Australia)
  • Joseanne Peregin (56), Drachma Parents Group (Malta)
  • Christopher Vella (39), Drachma LGBT (Malta)
  • Ruby Almeida (61), Quest (UK / India)
  • Francis DeBernardo (58), New Ways Ministry (USA)
  • Andrea Rubera (52), Cammini di Speranza (Italia)
  • Fernando González (37), Padis+ (Chile)

Os Codiretores da GNRC são Ruby Almeida e Christopher Vella.

Entre os 89 participantes da Assembleia só estiveram presentes 19 mulheres e 1 mulher transgénero. Uma maior representação das mulheres das pessoas transgénero é um importante desafio da GNRC para o futuro.

Mesa Directiva da GNRC

Rede Global de Católicos Arco-íris 2017

Sítio Web:    www.rainbowcatholics.org   E.mail:           media@gnrcatholics.org

Twitter:         GNRCatholics                         Facebook:      GlobalNetworkofRainbowCatholics

A Rede Global de Católicos Arco-íris (GNRC) é formada por organizações e indivíduos que trabaham em prol do cuidado pastoral e da justiça para com as pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, intersexuais e queer (LGBTIQ) e das suas famílias. A rede trabalha a favor do reconhecimento, inclusão, dignidade e igualdade desta comunidade na Igreja Católica Romana e da sociedade em geral. A GNRC foi fundada em outubro de 2015 na conferência de Roma, “Os Caminhos do Amor”, com 80 participantes de 30 países. À data a GNRC representa 25 grupos de católicos LGTBI, as suas familias e amigos de todos os continentes.

 

 

This entry was posted in Press release. Bookmark the permalink.

2 Responses to Quase 100 Católicos LGBTIQ, de 35 países, reuniram-se em Munique-Dachau

  1. Pingback: Segunda Assembleia: “Escuta o nosso Clamor” | Global Network of Rainbow Catholics

  2. Pingback: Près de 100 catholiques LGBTIQ rassemblés à Munich | Global Network of Rainbow Catholics

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *